Populares

Escrito por: Fabi agosto 16, 2012


Quinta-feira, mais um dia da poesia! Como puderam perceber, o Dia da Poesia de hoje será com o nosso parceiro Rafael Silvestre.

Cegueira
 Morreram meus olhos. Pararam de enxergar tamanha falta de azul do céu, o flutuar das mariposas, o bocejar das crianças.
 Morreram em nome de um mundo diferente, traduzido debaixo de mesas em esconderijo secreto para alma.
 A fiel fomentação da indelicadeza pronunciou-se em boca de olhos mortos, que não mais enxergavam a própria vergonha criada.
 Ao passo dos olhos mortos, uma vida morria, dois desejos nasciam, e a escuridão escorregadia em lágrimas de tristeza se habituava a não mais ser apenas parte, mas o todo.
 Morreram meus olhos, agora, escuros para sempre.
                                                                                                                  
                                                                                                               Rafael Silvestre












                                                                                                                                                      
E aí, gostaram?
Bjos.

{ 10 comentários ... leia abaixo ou comente }

  1. Não gosto muito de poesia, mas essa me deixou arrepiada. Muito bem escrita me transmitiu a emoção das palavras. Parabéns para o autor.
    Beijos,
    http://laviestallieurs.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    que poesia MARAVILHOSA!!!! Ela é do tipo que eu gosto, com palavras simples mas que significam muito!

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu mesma escrevo poesia há tempos, e pequenos contos mas parei á um tempo e não consigo escrever mais tao bem e nem me inspirar, mas acho que vou postar um dos meus próprios poemas aqui qualquer dia. Adorei o do nosso parceiro e gosto desse tipo de poema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiada!
      Gostaria muito que postasse um de teus poemas,os quais estou esperando até hoje, né dona Mayumi!

      Excluir
  4. Linda, profunda! Você meio que sente perfeitamente e não entende nada do que o autor quer dizer. É um tipo de situação paradoxal que deixa um texto muito mais rico e infinitamente mais profundo!

    Adorei meeeeesmo!

    Beijos,
    N!

    www.nathlambert.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oie,
    Tive uma professora de teatro que insistia em fazer a gente ler poesia, dizia que a posia tem um jeito diferente e blá blá blá, aí peguei muito nojo e nunca mais li nada, tipo falam poesia já saio fora, depois notei que isso não é só birra minha. A poesia está morrendo neh, vejo editoras que colocam ressalvas do tipo: não publicamos poesia.
    Só que a poesia que falo é aquela antiga, que as estrofes são contadas, as letras tb essas coisas. Gostei bastante dessa, achei diferente, meio triste e melancolica, aí já gosto, acho mais denso, mais verdadeiro. Ufa falei muito neh rsrsrs
    bjossss

    ResponderExcluir
  6. Oi Fabi!
    Minha coluna preferida, amei o poema.

    Logo teremos uma coletânea dos melhores hein?

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Oi Fabi! Gostei bastante da poesia do Rafael! Estou amando esta coluna do blog! Tem post novo no Nessa News: http://www.newsnessa.com/2012/08/harlequin-books-saltos-de-arrasar-heidi.html Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Nossa, adorei *-* parabéns ao Rafael por tanto talento!
    Quem sabe uma hora eu não me inspiro? hahahaha

    http://foolishhappy.blogspot.com.br/
    xoxo

    ResponderExcluir

- Copyright © Roubando Livros - Date A Live - Powered by Blogger - Template Base por Johanes Djogan -